Funcionários

Nosso time

Brenda RODRIGUEZ Lopez

Brenda Rodríguez Lopez

Diretor-executivo
Ela/Ela/Ella

Brenda Rodríguez López é uma queer, bilíngue em inglês e espanhol, organizadora, estrategista e contadora de histórias sem documentos do México e a primeira Diretora Executiva da WAISN. Ela chegou aos Estados Unidos aos nove anos depois de caminhar pelo deserto sem comida e água durante dias com o objetivo de se reunir com sua família, após anos separada e morando com os avós paternos em Villa Comoapan, Veracruz. Depois de chegar aos EUA, ela cresceu em Basin City, na zona rural do leste de Washington, e trabalhava no campo todos os verões ao lado de sua família. O medo da deportação e da separação familiar manteve-a nas sombras até que decidiu transformar esse medo em acção e juntou-se aos jovens indocumentados na luta para conquistar um caminho para a cidadania e protecção contra deportações. Brenda é bacharel em Estudos Femininos e Línguas Estrangeiras pela Washington State University.

Brenda juntou-se à Washington Immigrant Solidarity Network em 2018 como a primeira Coordenadora do Leste e Centro de Washington, e construiu coligações que se tornaram com sucesso os seus próprios 501 (c) 3s em Wenatchee, Yakima, Spokane, Quincy, Ephrata e Tri-Cities. De 2018 a 2019, Brenda também construiu uma rede estadual de Resposta Rápida com quase 1.000 voluntários durante o auge da fiscalização da imigração e expandiu programas como Acompanhamento e Defesa contra Deportação em todo o estado de Washington para lutar contra as deportações.

Em 2019 e 2020, Brenda co-liderou uma coligação de 250 organizações para criar, organizar e defender leis para acabar com a colaboração entre agências estatais, polícia e Immigration and Customs Enforcement (ICE) e reduzir as detenções em tribunais. A Lei Keep Washington Working e a Lei dos Tribunais Abertos a Todos tornaram-se modelos de política nacional que outros estados como Oregon e Califórnia usaram para reduzir as detenções.

Desde 2020, Brenda co-projetou, liderou e implementou o maior fundo de ajuda do país para imigrantes indocumentados, totalizando mais de $400 milhões em ajuda económica direta. Em 2021, Brenda tornou-se a primeira diretora executiva da WAISN e atualmente lidera a WAISN como uma rede estadual, diversificada e poderosa de 400 organizações que trabalham para promover e proteger os direitos de imigrantes e refugiados.

Catalina Vasquez

Catalina Velásquez

Diretor-executivo
Ela/Ela/Ella

Catalina é transgênero, refugiada, colombiana-latina, empreendedora social e diretora executiva da Rede de Solidariedade aos Imigrantes de Washington.

As versáteis experiências de trabalho e o conjunto de habilidades de Catalina permitem-lhe liderar a rede de forma criativa e confortável em várias campanhas, esforços de organização comunitária no terreno, educação popular, desenvolvimento de currículo de libertação e programação de defesa de deportação.

Catalina foi membro fundador da Megaphone Strategies, uma empresa de relações com a mídia nos últimos anos. Como uma das primeiras líderes da Megaphone, ela ajudou a imaginar, construir e co-dirigir uma das mais diversas organizações de relações públicas na política progressista dos EUA da época. Da mesma forma, Catalina foi membro do conselho fundador e vice-presidente da Our Revolution. Esta organização seguiu a campanha presidencial do senador Sanders dos EUA em 2016, dedicada a defender candidatos progressistas que concorrem a cargos públicos. Catalina também ajudou a criar o Projeto Queer Imigrante Indocumentado (QUIP) na United We DREAM. Ela trabalhou com organizações como End Rape on Campus, National Latina Institute for Reproductive Justice, DC Mayor's Office of Community Affairs, Labor Council For Latin American Advancement, Casa Ruby LGBTQ Resource Center, Trans Women of Color Collective (TWCC) e o Instituto Hispânico Caucus do Congresso.

Catalina foi a primeira imigrante transgênero latina nomeada como Comissária do Escritório de Assuntos Latinos de DC de dezembro de 2013 a junho de 2017. Catalina também foi escolhida a dedo pela Campanha Presidencial Bernie Sanders de 2016 para se juntar à equipe de Política LGBT do Senador dos EUA em Vermont, que liderou ao seu reconhecimento por Revista Rolling Stone como um dos “16 jovens americanos moldando as eleições de 2016” e um dos Mitu Jovens latinos que estão deixando uma marca na política." Catalina recebeu o Prêmio Mulher de Excelência 2017 do Escritório de Assuntos Femininos do prefeito Bowser de DC e o Prêmio Advocacy 2017 do Projeto de História Latino GLBT.

Catalina é fluente em espanhol, inglês e italiano. Ela é uma analista política experiente, organizadora de justiça social e professora feminista que se destaca no pensamento criativo em todas as disciplinas e setores. Ela baseia-se na sua ampla gama de conhecimentos, competências e experiência para se envolver com as implicações sociais e políticas da defesa de direitos, das campanhas, das mensagens e dos dados que nos rodeiam.

A investigação de Catalina centra-se nas relações transnacionais, metodologias descoloniais, seguimento de padrões de migração forçada, procura de justiça para os refugiados, construção de solidariedade entre diferenças, historicização da política externa dos EUA e da América Latina, envolvimento na teoria transgénero e queer, monitorização de tecnologias e práticas de vigilância e rastreamento de economias políticas. Ela é bacharel em Ciências pela Edmund A. Walsh School of Foreign Service da Universidade de Georgetown e tem mestrado em Estudos Feministas pela Universidade de Washington. Ela está terminando seu doutorado. em Estudos Feministas na Universidade de Washington-Seattle e ocasionalmente ensinando na Universidade de Washington Introdução aos Estudos Transgêneros ou Filosofias do Feminismo.

Alan Flores Torres

Alan Flores Torres

Assistente Executivo e Contato com a Diretoria
Ele/Ele/El

Alan Flores é indocumentado, estranho e assumidamente destemido. Alan é beneficiário da Ação Diferida para Chegadas Infantis (DACA) e veio para os Estados Unidos com sua família aos 10 anos de idade, vindo de Aguascalientes, México.

Alan começou a se organizar aos 18 anos depois de testemunhar o declínio da saúde de seus pais devido à falta de acesso a cuidados de saúde, moradia acessível e sempre vivendo com medo da deportação. Alan se lembra de seus pais voltando para casa depois de trabalhar em turnos de nove horas, tanto em uma fábrica em condições precárias quanto na chuva fria. Sua família não passava tempo junta porque precisava trabalhar; nunca foi suficiente para sobreviver. Tendo essas experiências o levado a se tornar um defensor, mais tarde, ele teve a oportunidade de organizar um sindicato na empresa de catering onde trabalhava. Ele escolheu lutar ao lado dos seus colegas, apesar do medo de retaliação devido ao seu estatuto de imigração. Alan foi fortalecido pela organização de salários justos, melhores condições de trabalho e proteção aos trabalhadores.

Na WAISN, Alan atua como assistente executivo e contato com o conselho. Ele se vê refletido na liderança queer, transgênero e liderada por imigrantes. Alan tem orgulho de fazer parte de uma organização cuja missão é promover os direitos dos imigrantes e refugiados, criando assim um futuro melhor onde a sua comunidade de imigrantes queer possa viver sem preconceitos como o seu eu autêntico.

Sasha Wasserstrom

Sasha Wasserstrom

Diretor de Políticas
Eles/Eles

Sasha Wasserstrom é uma pessoa transnacional, queer e de gênero não conforme, com origem porto-riquenha, judaica e grega. Eles chegaram a Washington vindos da Universidade da Califórnia - Santa Cruz, onde estão cursando o doutorado. em Ciência Política como Ph.D. Candidato. A sua dissertação centra-se em políticas federais específicas que contradizem historicamente descobertas científicas validadas internacionalmente ou direitos humanos garantidos e na relação destas políticas permanentes com o negacionismo contemporâneo e generalizado na opinião pública. Ao longo de seus mais de 10 anos de experiência profissional, Sasha tornou-se uma qualificada analista política, pesquisadora, organizadora comunitária, educadora e profissional de comunicação. Recentemente, Sasha foi organizadora de uma greve selvagem em todo o estado do UAW Local 2865 em Santa Cruz, para lutar por um salário digno entre os trabalhadores estudantes em todo o Sistema UC e ganhou concessões em todo o estado. Como Diretor de Políticas da WAISN, Sasha utiliza as suas competências para fazer avançar a agenda da WAISN e dos seus constituintes no espaço político, ao mesmo tempo que centra as comunidades afetadas para continuarem a adaptar-se, aprender e atender aos desafios contínuos que enfrentam.
Marjorie Kittle

Marjorie Kittle

Diretor de Finanças
Ela/Ela

Marjorie ingressou na Washington Immigrant Solidarity Network em 2023 como a primeira Diretora Financeira. Ela tem mais de 20 anos de experiência trabalhando com organizações sem fins lucrativos em tempos de mudança. A experiência operacional de Marjorie inclui todas as funções de contabilidade, desenvolvimento de pessoal, gestão de subsídios, declarações de impostos federais e estaduais. Recentemente, ela atuou como CFO interina e coach de negócios.

Ela é uma líder colaborativa cujo objetivo é construir sistemas que permitam que todos os funcionários façam o seu melhor trabalho em apoio à missão da WAISN. Originária do Arizona, Marjorie agora mora em Seattle.

Ela possui mestrado em Administração de Empresas, com concentração em Gestão Pública e Sem Fins Lucrativos pela Universidade de Boston.

Marjorie está entusiasmada em contribuir para a direção estratégica e o crescimento da WAISN.

Vanessa Reyes

Vanessa Reis

Gerenciador de políticas
Eles/Eles, Ela/Ela

A vida de Vanessa Reyes foi moldada pela migração. Vanessa usa os pronomes eles/eles e ela/dela. A família de Vanessa é de El Estado do México, México. Os pais de Vanessa migraram para o sul da Califórnia, onde Vanessa nasceu. Quando ela tinha alguns anos, Vanessa e sua família se mudaram para Illinois, morando primeiro em um subúrbio de Chicago e depois em uma pequena cidade rural no centro de Illinois. Vanessa mudou-se para a fronteira entre Illinois e Iowa para estudar ciências políticas, estudos de gênero e ética no Augustana College antes de se mudar para Seattle, Washington, em meados de 2015.  

De 2015 a 2020, Vanessa trabalhou no Northwest Immigrant Rights Project como advogada jurídica e representante credenciada, apoiando imigrantes sobreviventes de violência doméstica, agressão sexual e outros crimes na solicitação de ajuda imigratória. No NWIRP, Vanessa aprendeu muito sobre as complexidades do sistema legal de imigração e como as leis e políticas desse sistema foram criadas e continuam a promover divisões e impedir que certas pessoas tenham acesso a direitos, benefícios e segurança básica. 

Fora de seu trabalho diário, Vanessa participou de organização comunitária e trabalho de ajuda mútua, que incluiu ser membro fundador da Fuerza Colectiva, um coletivo organizador de jovens com identificação Latinx na área de Seattle que, entre outros projetos, ajudou a arrecadar fundos para apoiar taxas de solicitação de imigração e esforços para fechar o Northwest ICE Processing Center em Tacoma. 

As experiências pessoais, educacionais e profissionais de Vanessa promoveram seus valores como abolicionista de prisões e fronteiras.    

Em agosto de 2020, Vanessa começou a trabalhar na WAISN como a primeira coordenadora do Fair Fight Bond Fund. Ela está entusiasmada por ter a oportunidade de combinar as suas competências e valores na WAISN para trabalhar no sentido de libertar as pessoas da detenção, ao mesmo tempo que trabalha para desmantelar os sistemas que oprimem o nosso povo e, em vez disso, construir comunidades prósperas e acolhedoras.
Liliana Fausto

Liliana Fausto

Coordenador de Campanha
Ela/Ela/Ella

Nascida em Los Angeles, Califórnia, seu pai é de Guadalajara, México, e sua mãe, de San Salvador, El Salvador.

Liliana mudou-se com a família para Wenatchee Washington na 7ª série, mas atualmente reside em Mount Vernon, condado de Skagit. 

Sua jornada até onde está agora começou quando ela participou do acampamento de liderança bilíngue La Cima no ensino médio. Este acampamento de liderança a apresentou a modelos, mentores e líderes comunitários Latinx. Ajudou Liliana a desenvolver competências e confiança ao saber que poderia provocar mudanças na sua comunidade. Durante o mandato de Liliana na Central Washington University ingressou no MECh.A - Movimiento Estudiantil Chicanx de Aztlan. Esta organização estudantil lhe ensinou muito sobre cultura e comunidade. Deu à Liliana as ferramentas e o conhecimento para se informar sobre as disparidades, as injustiças e a coragem para agir. Liliana sabia da importância de se envolver e do compromisso que assumiria consigo mesma, com sua família e com a comunidade.

Liliana está preparada para traçar estratégias, se organizar e ver vitórias. Liliana foi contratada como bolsista da United We Dream e foi para Washington DC para fazer lobby e fazer campanha por legislação e reforma da imigração. Ela voltaria ao campus em Ellensburg e mobilizaria os alunos e abriria espaço para o envolvimento das pessoas. Isso levou Liliana a servir no Conselho de Administração da Justiça Central de Washington para Nossos Vizinhos e a ajudar a desenvolver uma clínica de imigração em Ellensburg. Enquanto estava na CWU, Liliana se formou duas vezes em Sociologia e Direito e Justiça, seu objetivo é cursar direito em um futuro próximo para poder atuar como advogada de imigração no estado de Washington. Liliana teve a oportunidade de ser voluntária no Projeto de Justiça do Noroeste em Wenatchee e fazer trabalho administrativo, o que lhe demonstrou que ela tinha a capacidade de apoiar famílias e indivíduos através do injusto sistema judicial de imigração. 

Liliana tem a incrível oportunidade de trabalhar com a WAISN como Organizadora Comunitária do Westside e estará focada em fortalecer os relacionamentos da WAISN com organizações e comunidades locais no lado oeste. Liliana espera incentivar a comunidade a liderar campanhas e fazer lobby na capital paulista.
Israel gonzalez

Israel González

Organizador de Resposta Rápida
Ele/Ele/El

Israel Gonzalez é um imigrante nascido na Cidade do México e veio para os Estados Unidos em 2019. Atualmente mora no condado de Franklin, na cidade de Pasco.

Forjou seus estudos no México, tornando-se Assistente Social, adquirindo assim experiência com diversos métodos de trabalho comunitário. Fez serviço social para terminar os estudos em um presídio para menores, reforçando e colocando em prática seu aprendizado. Israel é um amante das artes. Ganhou experiência no palco como parte de uma companhia de teatro musical e está convencido de que a arte é uma porta para um mundo melhor.

Israel é uma pessoa pertencente à comunidade Queer e atualmente possui Asilo Político devido à discriminação, violência e perigo que sofreu em seu país de origem por ser gay.

Israel é o guardião legal dos seus dois irmãos mais novos e, como todas as pessoas, continua a trabalhar para progredir.

Ele ingressou na WAISN em 2021 como nosso operador HotLine. Onde pôde conhecer e aprender um pouco mais sobre a realidade que os imigrantes vivem todos os dias nos EUA, mais especificamente no estado de Washington.

Israel juntou-se à equipe WAISN em tempo integral em setembro de 2022 como organizador comunitário.

Atualmente Israel também faz parte do show de drag mais antigo do estado de Washington, chamado Vida Amore Divas Show. Onde ele tem a oportunidade de trazer entretenimento totalmente em espanhol, além de interagir e conhecer a comunidade de todo o estado.

Os processos difíceis e traumáticos que os imigrantes têm de passar para obterem uma melhor qualidade de vida no seu país são algumas das razões pelas quais Israel está empenhado em trabalhar e defender os direitos das pessoas que, como ele, são imigrantes.
Nedra Rivera

Nedra Rivera

Gerente de linha direta
Ela/Ela/Ella

Nedra juntou-se à WAISN como uma das primeiras voluntárias da Linha Direta em 2017. Desde o lançamento da Resposta à Saúde dos Imigrantes da WAISN em 2020, ela assumiu primeiro a função de Co-Coordenadora da Linha Direta e agora Gerente da Linha Direta. Ela está extremamente orgulhosa de tudo o que a fenomenal equipe da Hotline alcançou até agora e está entusiasmada em ajudar a liderar um novo capítulo em seu serviço à comunidade.

Nascida na Califórnia, ela é neta de imigrantes mexicanos por um lado. Ela se mudou para Seattle ainda jovem e tem o prazer de considerar o estado de Washington como seu lar. Ao aprender a história da migração da sua família e dos 13 anos que viveu em Espanha, Nedra tornou-se profundamente consciente das profundas desigualdades e da variedade de experiências vividas entre diferentes povos migrantes em todo o planeta. Esse conhecimento informa profundamente como ela se envolve com o mundo.

Nedra é fluente em espanhol e inglês. Ela trabalhou como tradutora e editora profissional por mais de 20 anos e possui vasta experiência como professora/formadora. Para o Hotline ela traz criatividade e atenção aos detalhes; talento para organização; um aguçado sentido de justiça e vontade de falar a verdade ao poder; e um compromisso de fornecer um serviço atencioso, humilde e receptivo que desenvolva a agência e capacite a nossa comunidade de imigrantes, conectando-os a informações e recursos cruciais.

CARLOS ABARCA

Operador de linha direta
Ele/Ele/Él

Carlos é um orgulhoso imigrante nascido na Baixa Califórnia, México. Ele veio para os Estados Unidos aos 6 anos para morar com seu irmão e irmã.

Ele passou a maior parte de sua vida morando entre Benton e o condado de Franklin, onde testemunhou e vivenciou as dificuldades que as comunidades de imigrantes enfrentam. O acesso aos cuidados de saúde, as condições de trabalho insatisfatórias e as oportunidades limitadas de prosseguir o ensino superior eram comuns na sua comunidade.

Os desafios que ele via na sua comunidade inspiraram os seus primeiros passos na defesa de direitos. Enquanto cursava a faculdade, ele fez parte de um conselho de liderança que viajou à capital do estado para defender a expansão da elegibilidade para ajuda financeira para imigrantes indocumentados, bem como defender o financiamento estatal dedicado para faculdades técnicas e comunitárias com a intenção de tornar a faculdade mais acessível a todos.

Após a faculdade, Carlos trabalhou para o distrito escolar local no departamento de manutenção e operações. Durante esse período, a pandemia da COVID-19 começou a afetar a vida de muitos de seus entes queridos, membros da comunidade e imigrantes em todo o estado. Através do poder das redes sociais, ele testemunhou como a WAISN se mobilizou para ajudar aqueles que de outra forma não se qualificariam com base no seu estatuto. Isso o inspirou a buscar um cargo na WAISN.

Carlos ingressou na WAISN em 2022 como operador da Linha Direta de Defesa de Deportação. Ele tem orgulho de fazer parte da linha direta e gosta de se conectar com os membros da comunidade e ouvir suas histórias. Ele usa suas experiências vividas para aprender, ter empatia e capacitar pessoas de todas as origens.
ERIKA MEJIA

ERIKA MEJIA

Operador de linha direta
Ela/Ela/Ella

Erika Mejia é uma imigrante nascida em Michoacán, México. Ela veio para os Estados Unidos em 1991 e atualmente reside na cidade de Monroe, condado de Snohomish.

Ela morou em Los Angeles, CA por cinco anos depois de chegar a este país. Então sua família mudou-se para Wenatchee, WA, em busca de uma vida melhor. Seus pais decidiram se mudar porque procuravam um lugar muito mais seguro para seus filhos crescerem.

Quando ela chegou a este país, ela começou a segunda série. Ela ainda se lembra de como se sentiu perdida sem falar ou entender a língua. Isso a impediria de fazer amigos ou participar das aulas. Agora ela é fluente em inglês e espanhol. Esta experiência, aliada ao facto de ser indocumentada neste país, deu-lhe uma compreensão da dificuldade que os imigrantes enfrentam quando vêm para cá em busca de uma vida melhor, especialmente quando não falam a língua.

Ela sempre adorou apoiar os pais, parentes e outros membros da comunidade imigrante. Sua experiência em traduzir para pessoas que não falam inglês e em ajudá-las a lidar com situações do dia a dia foi o que a levou primeiro às assembleias gerais da WAISN e depois a se candidatar a uma posição na Linha Direta. Trabalhar na WAISN é muito importante para ela porque ela pode fazer parte deste movimento que capacita a nossa comunidade com apoio e conhecimento, garantindo que eles saibam que temos direitos e que sempre nos manifestamos!

Erika é esposa, mãe, colega de trabalho e amiga. Com quase 30 anos, ela terminou o ensino médio e começou a frequentar a faculdade no Renton Community College. Esta é apenas a prova de que não importa quantos anos você tenha, você ainda pode conseguir o que deseja. A linguagem e os diferentes papéis que podemos desempenhar nas nossas vidas não nos impedirão de perseguir os nossos sonhos.
Christy Korrow

Christy Korrow

Gerente de Desenvolvimento de Recursos e Parcerias
Ela/Ela

Christy traz experiência em organização comunitária através de seu trabalho como agricultora orgânica, ex-funcionária eleita e profissional editorial.

Em dezembro, ela completou um mandato de quatro anos como vereadora em Langley, WA. Suas realizações incluíram a adoção de políticas de policiamento Keep Washington Working into the City e o estabelecimento de um conselho consultivo municipal permanente liderado pelo BIPOC, focado no desmantelamento do racismo sistêmico.

Christy foi cofundadora e atualmente faz parte do comitê diretor da Solidarity Over Supremacy, uma organização que monitora milícias de extrema direita e atividades nacionalistas brancas em Island County e trabalha para garantir que os valores de segurança, equidade e inclusão permaneçam fortes na comunidade.

Em 2019, ela começou a trabalhar com a WAISN como voluntária e foi cofundadora de uma equipe de Resposta Rápida na Ilha Whidbey. Ela prospera no ambiente de organização liderada pela comunidade da WAISN, baseada em ajuda mútua, agência e solidariedade.

Christy é uma abolicionista de fronteiras e, através do seu papel como Coordenadora de Desenvolvimento de Recursos e Parcerias, trabalha para desmantelar um regime fronteiriço injusto que resulta em barreiras desproporcionais aos recursos. Trabalhando em estreita colaboração com a equipe WAISN Hotline, Christy cultiva parcerias estratégicas com agências governamentais e prestadores de serviços organizacionais em todo o estado. A equipe também avalia recursos para acessibilidade linguística, requisitos de identificação e boas-vindas a qualquer pessoa, independentemente do status de imigração, para que os recursos possam ser acessados igualmente.
Marleny silva Velarde

Marleny Silva Velarde

Organizador de recursos comunitários
Ela/Ela/Ella

Marleny nasceu em Nayarit, no México, mas cresceu em uma pequena cidade produtora de laticínios na região de North Puget Sound, no estado de Washington. Ela é uma ex-beneficiária do DACA/sem documentos, que imigrou pela primeira vez com sua família quando tinha quatro anos de idade. Fluente em espanhol e inglês, ela traz experiência em extensão comunitária, pesquisa qualitativa, ensino, análise de dados e trabalho com jovens. Ela é apaixonada por defesa da comunidade, educação e igualdade na saúde.

Marleny frequentou pela primeira vez o campus da Universidade de Washington em Tacoma para se formar em administração, mas rapidamente mudou de direção depois de fazer seu primeiro curso de estudos raciais e étnicos. Ela recebeu a bolsa Bamford e entrevistou membros de uma comunidade de trabalhadores agrícolas no noroeste de Washington para amplificar suas vozes e esclarecer as barreiras enfrentadas pelos trabalhadores agrícolas migrantes e suas famílias no acesso aos serviços de saúde e educação. Sua pesquisa foi publicada e apresentada na conferência anual Global Engagement.

Em 2018, ela se formou com especialização dupla em Liderança em Saúde e Estudos Étnicos, de Gênero e Trabalhistas e especialização em Engajamento Global. Ela passou a frequentar o campus da Universidade de Washington em Seattle para fazer pós-graduação e obteve um mestrado em Política Educacional em 2020.

Desde então, ela teve o privilégio de servir sua comunidade por meio de vários projetos, incluindo uma iniciativa de saúde COVID-19 liderada por jovens, trabalhando com comunidades negras carentes, além de lecionar em um centro para menores desacompanhados e co-liderar um estudo de pesquisa para identificar barreiras aos cuidados com as mamas entre mulheres latinas. Ela defende a expansão do acesso à saúde e da educação adaptada às populações imigrantes indígenas e latino-americanas, tendo em conta a cultura, as línguas e os estigmas predominantes nas nossas comunidades.
Yahaira Padilla

Yahaira Padilha

Coordenador de Defesa de Deportação
Ela/Ela/Ella

Yahaira Padilla cresceu sem documentos e é beneficiária da Ação Diferida para Chegadas na Infância (DACA). Ela nasceu em Jalisco, no México, e veio para os EUA aos 4 anos com a mãe e os irmãos. 
Em 2006, Yahaira mudou-se do leste de Los Angeles para Seattle, Washington, onde começou a se organizar no ensino médio enquanto enfrentava a realidade e os desafios de ser uma estudante sem documentos. Enquanto estava no ensino médio, Yahaira cultivou um clube pós-escola para estudantes Latinx enquanto era politizada e engajada pelo Proyecto Saber, um dos dois programas de estudos étnicos oferecidos em todo o sistema de escolas públicas de Seattle. Ela participou de dias de defesa de direitos na capital do estado, onde defendeu o Dream Act estadual, que amplia o acesso a auxílios estatais para estudantes indocumentados, como delegada do Projeto Latino/a de Realização Educacional e da Aliança Cívica Latina em seus Dias Legislativos Latinos. 
Yahaira ingressou na WAISN em 2020 em meio período, enquanto trabalhava em tempo integral na área médica como assistente médico. Ela trabalhou na linha de frente na área médica durante o aumento da pandemia global da COVID-19, bem como na linha de frente da comunidade imigrante através de seu papel como líder de mudança de linha direta, garantindo que as comunidades indocumentadas tivessem um navegador comunitário confiável de recursos enquanto enfrentando esta pandemia sem precedentes. 

Yahaira, como coordenadora especialista em imigração da WAISN, vem compartilhar sua história e ajudar a comunidade a compreender as instituições e sistemas mais amplos que os atingiram historicamente, para que possam recuperar sua história. Yahaira compreende o poder da organização comunitária e sabe que unidos podem lutar contra a máquina de deportação.
Marsha Enriquez

Marsha Enriquez

Coordenador de operações
Ela/Ela/Ella

Marsha é filha de imigrantes trabalhadores rurais sem documentos, cresceu na zona rural de Washington testemunhando a injustiça e a exploração de sua família e comunidades. Enquanto crescia, a filha mais velha, Marsha, traduzia termos médicos complexos, agendava consultas médicas de acompanhamento e defendia os direitos dos pais. Isso alimentou o desejo de Marsha de ser uma voz para suas comunidades e trabalhar na área médica. 

Nos últimos 6 anos, ela tem trabalhado em espaços e clínicas de justiça reprodutiva com foco em levar serviços a comunidades rurais como a cidade onde cresceu. Durante a pandemia da COVID-19, Marsha esteve na linha de frente como assistente médica em Post Falls, Idaho, e como uma das poucas equipes médicas bilíngues que auxiliavam comunidades de língua espanhola.  

A paixão de Marsha sempre foi planejar eventos e fazer DIY's. Ela criou uma pequena comunidade de 1.500 pessoas no Instagram compartilhando seu trabalho e inspirando outras pessoas. Depois de se tornar mãe pela primeira vez e se mudar de volta para Tri-Cities Washington, durante a licença maternidade, Marsha conseguiu se concentrar no planejamento e coordenação de eventos para familiares e amigos. Com o fim da licença maternidade, tornou-se imprescindível para ela trabalhar em um ambiente familiar e acolhedor que não a obrigasse a escolher entre criar o filho ou construir uma carreira.

Na WAISN, como Coordenadora de Eventos, Marsha aplica sua paixão para organizar eventos com um propósito. Ela trabalha em estreita colaboração com a Equipe de Desenvolvimento na organização de eventos centrados na alegria, no cuidado e na solidariedade para sustentar e fazer crescer a missão da WAISN. 

GABY TORRES

Coordenador de Justiça Linguística
Ela/Ela/Ella

Gaby Torres é Queer, Boricua, nascida e criada em Borikén (Porto Rico). Após o furacão María, ela deixou Porto Rico em 2018 para fazer mestrado em Serviço Social pela Universidade de Washington, com foco em Prática Integrativa Centrada na Comunidade.

Antes de se mudar para os Estados Unidos, Gaby passou mais de 6 anos fazendo trabalho comunitário com organizações locais e grupos de ajuda mútua. Este trabalho centrou-se na defesa queer e trans, no ativismo contra o feminicídio e a violência de género, no estatuto colonial de Porto Rico e no apoio a catástrofes naturais após o furacão. Estas experiências moldaram quem Gaby é hoje, mostrando-lhe que “solo el pueblo ayuda al pueblo” e a importância da solidariedade, do cuidado coletivo e da soberania comunitária.

Enquanto fazia seu mestrado em Seattle, ela completou um estágio como Especialista em Recursos Comunitários na Biblioteca Pública de Seattle. Aqui, ela serviu como ponte e defensora entre os usuários da biblioteca e os prestadores de serviços, encaminhando-os para programas conforme apropriado, incluindo apoio habitacional, aconselhamento de saúde mental, treinamento profissional, assistência alimentar, ajuda jurídica, apoio à violência doméstica ou ajuda médica. No verão de 2023, ela se juntou à WAISN temporariamente como Mensageira de Confiança, apoiando a equipe Organizadora com divulgação comunitária em torno de King County, bem como cultivando relacionamentos com diferentes comunidades de imigrantes e refugiados e organizações locais.

Gaby está entusiasmada por ingressar na WAISN em tempo integral como Coordenadora de Justiça Linguística, concentrando-se na expansão de nossa rede multilíngue e na ampliação da missão da WAISN de proteger e promover o poder das comunidades de imigrantes e refugiados. Embora acredite que a língua é poder, ela está empenhada em promover a acessibilidade linguística e apoiar o crescimento da justiça linguística em todo o estado de Washington.

Ruqaiyah damrah

Organizador Digital
Ela/Ela/Ella

Ruqaiyah é uma irlandesa/palestina-americana de Portland, Oregon, onde foi criada em uma comunidade muçulmana de refugiados e imigrantes que foi fortemente vigiada pelo governo dos EUA após o 11 de setembro. Estes primeiros encontros com a vigilância e o policiamento do Estado moldaram a sua compreensão de como a política externa e a repressão política interna estão interligadas no quadro do imperialismo e da guerra ao terrorismo. Ruqaiyah mudou-se para Connecticut por quatro anos para estudar na Universidade de Yale, onde recebeu o bacharelado em História com foco no Oriente Médio.

Durante a graduação, ela trabalhou como organizadora no Havenly Treats, um café sem fins lucrativos administrado por refugiados e dedicado ao empoderamento político e econômico de mulheres refugiadas. Em Havenly, ela desenvolveu programas de bolsas e aulas para as mulheres que trabalhavam no café. Ruqaiyah estagiou em diversas organizações de política externa e de direitos humanos, incluindo o Project on Middle East Democracy e a Gisha, o que solidificou o seu interesse pelos estudos de direitos humanos. Ela também foi cofundadora do Yalies4Palestine, um grupo de estudantes dedicado à defesa dos direitos humanos palestinos, e liderou esforços para pressionar Yale a se desfazer de contratos que apoiam violações dos direitos humanos em todo o mundo. A identidade de Ruqaiyah como mulher palestiniana é fundamental para os seus princípios de descolonização e feminismo. Através do seu papel na WAISN como organizadora, ela espera aplicar estes princípios para contar as histórias das comunidades imigrantes no PNW.

Juntar-se à equipe WAISN proporcionou-lhe a oportunidade de promover os seus objetivos de defender os direitos dos imigrantes, a justiça linguística e a livre circulação de pessoas. Ela acredita que todos têm o direito de buscar uma vida melhor e se posiciona solidariamente como um aliado ativo na luta pela justiça social.

Mediha Sorma

Escritor de bolsas
Ela/Ela/Ella

Mediha Sorma possui doutorado. em Estudos de Gênero, Mulheres e Sexualidade pela Universidade de Washington. Seus principais campos de interesse são teoria feminista, teoria racial crítica, estudos turcos, reprodução e maternidade, teoria queer e estudos transgêneros. A sua dissertação, Mães Militantes da Resistência Curda: Apatridia, Maternidade e Política Subalterna na Turquia Contemporânea, examina as formas como as mulheres curdas criam insurgência através de práticas radicais/militantes de maternidade que desafiam os limites dos estudos feministas do Norte Global sobre reprodução e maternidade.

Mediha mudou-se de Istambul, Turquia para Seattle, Washington, para fazer doutorado. em Estudos Feministas na Universidade de Washington em 2015. Ela completou seu mestrado em Estudos Críticos e Culturais na Universidade Bogazici, Istambul e sua tese examinou as redes de segurança e os sistemas de parentesco radicais que as trabalhadoras do sexo Trans e Cis em Istambul forjam em resposta a os violentos regimes de vigilância exercidos pelo Estado turco.

Ao longo dos seus mais de 15 anos de formação académica, Mediha tornou-se uma investigadora, académica e educadora qualificada que centra a práxis feminista transnacional e anticolonial. Ela colaborou com académicas e ativistas feministas do Sul Global em todo o mundo para amplificar os conhecimentos subjugados criados pelas feministas do Sul Global, com foco no feminismo curdo como uma alternativa radical aos feminismos coloniais que dominam as conversas em torno da revolução de género.

O seu trabalho com activistas curdos, presos políticos, grevistas de fome e Peace Mothers (o movimento de mães curdas que mobiliza o luto materno racializado para responsabilizar o Estado turco pela violência necropolítica que exerce sobre o corpo reprodutivo curdo) fez contribuições significativas para a literatura emergente sobre feminismos do Sul Global.

No seu papel como Grant Writer na WAISN, Mediha esforça-se por centrar as experiências vividas e os conhecimentos incorporados das comunidades imigrantes no Estado de Washington para construir poder, transformar a narrativa em torno da migração e expor os regimes violentos de controlo de fronteiras.

Sam Choi

Coordenadora de Cultura e Bem-Estar
Ele/Ele/Él

Sam 정우/Jungwoo (ele/ele) é um garoto Coreano de primeira geração, queer e Transmasc, que cresceu com pais imigrantes da classe trabalhadora. Sua família desembarcou pela primeira vez na Virgínia e mudou-se para Louisiana antes de subir em 2016 para Seattle/Federal Way, nas terras tradicionais dos povos Coast Salish, especificamente dos povos Duwamish, Muckleshoot e Puyallup.


Sam é um artista e facilitador profundamente apaixonado por utilizar nossa prática criativa para sonhar coletivamente maior, sentir mais e criar espaços mais seguros onde possamos ser ultrajantes e audaciosos em tudo o que somos, sem as restrições dos brancos, coloniais, cis. -sistemas heteropatriarcais.


Ele veio para a WAISN depois de trabalhar anteriormente no Centro LGBTQ+ de Seattle, onde apoiava programação criativa para jovens negros queer e trans e facilitava workshops interseccionais de competências queer e transgêneros para organizações externas. Através deste trabalho, ele testemunhou frequentemente necessidades organizacionais na construção e fortalecimento dos cuidados comunitários internos, para que as pessoas fossem sustentadas nas nossas práticas e trabalho contínuos anti-opressivos e libertadores.


Sam está honrado e entusiasmado por se juntar à WAISN como seu Coordenador de Cultura e Bem-Estar, para co-construir uma cultura compassiva que centralize os desejos e a nutrição de nossa equipe apaixonada para continuar alimentando nosso trabalho interseccional de justiça para refugiados e imigrantes que está por vir.

Mayra Gabriela Garcia

Bolsista de recursos
Ela/Ela

Sou um imigrante de primeira geração, um orgulhoso guatemalteco, que atualmente reside em Seattle e que se sente extremamente afortunado por fazer parte da WAISN. Navegando no complicado sistema dos EUA e testemunhando em primeira mão os complicados desafios de começar uma nova vida num novo lugar e numa língua diferente, sinto-me apaixonado por colocar as minhas competências profissionais a trabalhar a favor dos imigrantes e refugiados na nossa comunidade. Obtive um Mestrado em Direção de Marketing com Especialização em Análise e Estratégia Digital, o que me ajudou a focar na construção de uma base de dados mais abrangente que proporcione fácil acesso à informação à comunidade de imigrantes e refugiados. Durante meu tempo livre, tive a oportunidade de ser voluntário em organizações sem fins lucrativos; cuja missão e visão se alinham com a WAISN. Acredito firmemente que a empatia é uma das maiores capacidades que farão da nossa sociedade um lugar melhor, por isso o meu objetivo é trabalhar incansavelmente para informar a nossa comunidade para que possamos compreender-nos melhor uns aos outros.
pt_PTPT
Role para cima